Publicado por: blogdaigualdade | junho 14, 2010

100 anos do Ilê Axé Opô Afonjá traz história, beleza e cultura negra para Assembléia Legislativa

Em meio a tambores, tecidos brancos de Oxalá, orações e canções em yorubá, a sessão especial comemorativa dos 100 anos do Ilê Axé Opô Afonjá reuniu parlamentares, representantes da sociedade civil, de terreiros e do Estado. O evento ocorrido na manhã desta sexta-feira (11) transformou o plenário da Assembléia Legislativa em um grande encontro em homenagem às raízes africanas através do Candomblé e às iyalorixás (mães-de-santo) que a frente desse templo religioso fizeram história na Bahia.

O deputado estadual Bira Corôa destacou que este momento de reconhecimento e homenagem consagra e abrilhanta a caminhada dos ancestrais africanos pela preservação histórico-cultural. Bira ainda pontuou em sua fala o marco histórico conseguido com a luta de Mãe Aninha, a fundadora do Opô Afonjá, que conquistou a liberação legal do culto aos orixás, depois de uma audiência no Rio de Janeiro, em 1937 com o presidente Getúlio Vargas. “Agradeço pela resistência e existência do Ilê Axé Opô Afonjá, pois a nossa essência não está na epiderme, está sim na razão de ser negro”, concluiu o deputado.

Os deputados federais Zézeu Ribeiro (PT-BA) e Lídice da Mata (PSB-BA) reconhecendo o encanto de Mãe Stella de Oxóssi, lembraram a importância do Templo Religioso e a força da mulher na história do país. “Hoje estamos comemorando os 100 anos do Ilê Axé Opô Afonjá, que é uma referência nacional reconhecida pelo seu trabalho”, afirmou Zézeu. Lídice agradeceu o deputado Bira Corôa pelas introduções da cultura e religiosidade de matriz africana que o parlamentar tem realizado na Assembléia Legislativa.

O diretor do Irdeb Pola Ribeiro informou que o Candomblé de São Gonçalo (o Opô Afonjá) reúne ternura, força e acolhimento dentre tantas outras qualidades que possui. “Quanto mais aprendo, mais ignorante me sinto com a complexidade de conhecimento do Opô Afonjá”, disse Pola.

Segundo a juíza Luislinda Valois a homenagem a Mãe número 1 da Bahia veio tarde, mas felizmente foi lembrada e parabenizou o deputado Bira Corôa, pela sessão e por defender a promoção da igualdade.

Valois versou sobre a dificuldade de ser negro no Brasil, mas ressaltou que estamos vivendo um momento de mudanças. “É tempo da África, do Brasil, da Bahia, é tempo do empoderamento do negro”, concluiu a juíza.

Edvaldo Brito, vice-prefeito de Salvador, apresentou um cântico em Yorubá e concluiu sua fala afirmando o quanto era bom estarem todos juntos em um grande abraço.

O adido Cultural da Nigéria fez uma oração também em Yorubá complementando em sua fala que o Ilê Axé Opô Afonjá se tornara para o candomblé da Bahia um pilar de humanidade, de amor e de compaixão.

O Presidente da Fundação Sociedade Cruz Santa do Opô Afonjá José Ribamar Feitosa contou um pouco da história do terreiro desde mãe Aninha, passando por mãe Bada, mãe Senhora e Mãe Ondina até a atual Iyalorixá Mãe Stella de Oxossi, que vem fazendo um grande trabalho como matriarca do templo religioso. “Nossas Iyalorixás formam um grupo de mulheres em que todas são guerreiras”, afirmou o Ogã Ribamar.

A homenageada Mãe Stella, sendo a mais esperada na sessão especial, disse que o respeito e prestígio que a casa alcançou nestes 100 anos não foram em função de mesquinharia, vaidade ou arrogância e sim de entrega e dedicação das mães que a antecederam.

Mãe Stella recebeu duas placas comemorativas dos 100 anos do Opô Afonjá, uma entregue pela casa legislativa e a outra pelo deputado Bira Corôa com a inscrição de um provérbio de autoria da própria Iyalorixá e que traduzia: “a cabeça de uma pessoa faz dela um rei”.

Anúncios
Publicado por: blogdaigualdade | junho 14, 2010

Mulheres Negras do Odum Adotá comemoram 50 anos na Câmara Municipal de Salvador

Cinqüenta anos de luta e resistência de mulheres negras em defesa do axé, foi o tema do evento que marcou os 50 anos de existência religiosa do Odum Adotá. Promovido pela Associação Cultural e Religiosa São Salvador – Ilê Axé Oxumarê, a cerimônia de comemoração ocorreu em sessão especial, na câmara municipal de Salvador, na última semana de maio.

Estiveram presentes, o assessor especial da Secretaria de Políticas Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República, o ogã do Ilê Axé Oxumaré, Marcos Rezende representando a Comissão Especial de Promoção da Igualdade da Assembléia Legislativa, O presidente da Fundação Palmares, Zulu Araújo, a juíza Luislinda Valois, Almiro Sena, promotor do Ministério Público, Ailton Ferreira, secretário municipal da Reparação, que representou o prefeito João Henrique e o deputado federal Emiliano José (PT), dentre diversas representações da sociedade civil e do governo.

A Orquestra AfroSinfônica, regida pelo maestro Ubiratan Marques, apresentou-se no coquetel de encerramento do evento. O presidente da Comissão Especial de Promoção da Igualdade e deputado estadual Bira Corôa afirmou que os cinqüenta anos de história do Odum Adotá, representam à valorização do povo negro na luta dessas mulheres que defendem a tradição de seus ancestrais na religião de matriz africana. “As homenagens às mães do Odum Adota reverenciam os 50 anos de existência de sua história e cultura, mas representam também as lutas de resistência de toda a população negra da Bahia” conclui Bira Corôa

Publicado por: blogdaigualdade | junho 14, 2010

Cacique Babau e seu irmão Givaldo finalmente reconquistaram o direito à liberdade

O Tribunal Regional Federal de Brasília acatou dois pedidos de habeas corpus impetrados pela Fundação Nacional do Índio (FUNAI). O cacique da etnia Tupinambá e seu irmão Givaldo foram liberados pelo TRF no último dia (8).

No dia 10 de março, a Polícia Federal, prendeu o Cacique sob acusações falsas e em seguida deteve o seu irmão após uma visita ao presídio. Os indígenas continuaram respondendo a processo, mas agora em liberdade. Babau luta com sua comunidade em busca de seu território tradicional, o que para muitos está sendo considerado como formação de bando ou quadrilha de forma mentirosa.

Irmã do Cacique Babau, Célia Tupinambá foi presa no dia 03 de junho, também pela polícia federal. Célia esteve em Brasília no sábado (29), para entrega de documento ao presidente Lula, que relata e pede providências para os Tupinambás da Serra do Padeiro. Ao retornar foi detida no desembarque ao aeroporto de Ilhéus. Célia assistiu ao julgamento do habeas corpus, no dia 02, impetrado pelo Ministério Público Federal em favor do cacique Babau.

O presidente da Comissão Especial de Promoção da Igualdade, o deputado estadual Bira Corôa, que foi impedido pela polícia federal quando tentava visitar o Cacique Babau na Prisão, disse que espera que a justiça seja feita e que está satisfeito com a libertação do Cacique e de seu irmão. “Os indígenas estão defendendo a demarcação de seu território por direito, que antes fora extraído de seu povo”, conclui Bira Corôa.

Publicado por: blogdaigualdade | junho 7, 2010

Terreiro Ilê Axé Opó Afonjá comemora 100 anos na Assembléia Legislativa

O histórico terreiro Ilê Axé Opó Afonjá comemora 100 anos do Candomblé de São Gonçalo. Proposto pelo deputado estadual Bira Corôa (PT-BA), a Assembléia Legislativa da Bahia promove sessão especial comemorativa no dia 11 de junho de 2010 (sexta-feira). O evento será às 09:30h, no plenário da casa.

O Ilê Axé Opó Afonjá tornou-se uma importante referência na construção de valores das religiões de matriz africana do Estado. O terreiro fundado em 1910 por Eugênia Anna dos Santos, conhecida como Mãe Aninha, representa um marco nas lutas de afirmação e identidade religiosa no Brasil.

Um exemplo das ações do Ilê Axé Opó Afonjá, representado por Mãe Aninha, ocorre quando Getúlio Vargas recebe a líder religiosa, que lhe apresenta a grandeza e complexidade da religião. O fato teve considerável importância na história do candomblé, pois em seguida o então presidente do Brasil, promulga o Decreto-Lei 1.202, que proíbe qualquer embargo sobre os exercícios da religião do candomblé no País.

Além da fundadora, quatro iyalorixás estiveram à frente do candomblé de São Gonçalo em seus primeiros 100 anos, são elas, Mãe Bada, Mãe Senhora, Mãe Ondina e a atual Mãe Stella de Oxossi, que de forma ímpar tem dirigido o terreiro e preservado todo o legado ancestral.

Com tanta história gravada no tempo, o centenário do Terreiro de Mãe Stella tem grande significado no contexto religioso e social da Bahia. Por esta razão o presidente da Comissão Especial de Promoção da Igualdade, deputado estadual Bira Corôa, entende o significado e importância do Ilê Axé Opó Afonjá sendo celebrado em sessão especial, os 100 anos de existência do terreiro.

Publicado por: blogdaigualdade | junho 2, 2010

1º Encontro de Jovens e Adolescentes Negros do Interior

O município de Ouriçangas sediará o 1º encontro de Jovens e Adolecescentes negros do interior (EJANI). Serão dois dias de mobilização a partir do dia 05, no colégio estadual Eliel Martins. Estão convidados, grupos, organizações, estudantes, quilombos, associações, instituições, jovnes militantes dos municípios de Alagoinhas, Aramari, Água Fria, Irará, Pedrão e também de Ouriçangas.

O objetivo do evento visa integar os segmentos juvenis e suas demandas em uma agenda comum com os setores públicos, de forma a garantir o atendimento dos seus direitos e interesses, envolvendo os poderes de órgãos privados.

Outro ponto é a utilização da cultura e arte-educação em relação à consciência negra e igualdade racial, direitos humanos como instrumento de fortalecimento educacional, buscando através dos seus elementos, possibilidade para que os jovens possam desenvolver sua cidadania.

O encontro terá palestras, oficinas, diálogos, propostas, apresentações culturais e intercâmbio Juvenil. Os interessaos deverão mobilizar 25 jovens por município para representar o seguimento político social, econômico e cultural de sua cidade. Deverão também articular o transporte e seus colchonetes. Inscrição, alimentação e alojamento gratuitos.

Contatos: 71 8228-4952  /   75 8149-3350

Email: gaeec@hotmail.com

Publicado por: blogdaigualdade | junho 2, 2010

ONU Proclama 2011 Ano Internacional dos Afrodescendentes

Na sua resolução 64/169, a Assembléia Geral da ONU – Organização das Nações Unidas proclamou o ano com início em 01 de janeiro de 2011 como o Ano Internacional dos Afrodescendentes, a fim de reforçar a cooperação nacional, regional e internacional para o benefício dos afrodescendentes em relação ao total gozo dos direitos econômicos, culturais, sociais, civis e políticos, a sua participação e integração em todas as políticas, econômicas, sociais e culturais da sociedade, e promover uma maior consciência e respeito do patrimônio diversificado e cultura desses povos.

A Assembléia Geral exortou os Estados-Membros, as agências especializadas das Nações unidas e da sociedade civil a preparar e identificar as iniciativas que possam contribuir para o sucesso do ano. Por fim, solicitou ao Secretário-Geral que apresente à Assembléia Geral, um projeto de programa para o Ano Internacional.

 Fonte: Viviane Jesus, Heifer.

Publicado por: blogdaigualdade | junho 2, 2010

Benin, Angola e Nigéria participam do Dia da África na Assembléia Legislativa e na Câmara Municipal de Camaçari

Com o colorido de estampas africanas e com a saudação dos alabês a Sessão Especial do Dia da África foi realizada nesta quinta-feira (27). O deputado Bira Corôa abriu o evento agradecendo as presenças dos países africanos representados na sessão através do Embaixador do Benin – Isidore Benjamin Monsi, do Adido Adjunto Cultural de Angola Camilo Afonso e do Adido Cultural da Nigéria – Ayó Ayanwale, prestando homenagem também ao embaixador decano do Zimbábue Thomas Sukutai Bvuma.

 Bira Corôa ressaltou a importância que a comemoração do Dia da África tem para a Bahia, já que é a cidade mais negra fora do continente africano e que esta data além de simbolizar a luta dos ancestrais africanos pela libertação representa parte da identidade cultural brasileira. O deputado ainda lembrou do caso da campanha Afirme-se que se movimentou em defesas das cotas nas universidades públicas.

Saiba Mais no Portal do deputado Bira Corôa: http://www.biracoroa.org/noticias_detalhe.asp?noticia_id=69

Categorias